MÊDA 100 MARATHON 2019

Robbert Nijs e Charlotte Davies dominam em Mêda

Robbert Nijs e Charlotte Davies dominam em Mêda

O Município de Mêda recebeu pelo quarto ano consecutivo, o circuito mundial UCI Marathon Series, escalão máximo mundial para as maratonas btt.

O Concelho de Mêda está instalado em pleno planalto beirão e é rico em história, ostentando as suas raízes templárias, sendo ainda berço do famoso vinho do Douro, vendo as suas paisagens marcadas pelos sulcos vinhateiros.Para o Município, o evento assume-se como fundamental para a promoção do concelho e da região.

A Meda100UCI Marathon Series, prova organizada pelo Mozinho Racing Team, correspondeu também ao arranque da fase nacional da Taça de Portugal de XCM.

100 longos e desafiantes quilómetros esperavam os atletas da categoria UCI Elite Men a que se juntavam os escalões master masculinos até aos 49 anos. As atletas UCI Elite Women  bem como as master femininas e os masr masculinos 50, 55 e 60, tinham 87 pela frente. Este era também o percurso para o Paraciclismo D, enquanto os paratletas da Categoria C faziam 45 quilómetros.

Entre os favoritos, duas quedas e uma avaria mecânica, afastaram da luta pelo triunfo David Vaz, Renato Ferreira e Ruben Almeida.

Na frente, a luta pela vitória integrou, na fase decisiva, o holandês Robbert Nijs (Intal-Torq Mtb Racing Team) e os portugueses Bruno Sancho (Korpo Activo Btt/Udl-União Desp.Lorvanen) e Andrew Henriques (BTT Loulé/Elevis) que se isolaram dos demais na já mítica longa e dura subida final até à meta.

Com um forte ataque, Robbert Nijs conseguiu deixar para trás os restantes membros da frente de corrida nas duas centenas de metros finais e levantou os braços na meta com apenas 9 segundos de vantagem sobre Bruno Sancho, com Andrew Henriques a chegar a apenas 15 segundos do holandês.

Um final verdadeiramente emocionante que levou o holandês à sua primeira vitória em provas desta categoria e à subida ao primeiro lugar do ranking mundial.

Para Bruno Sancho, antigo profissional de estrada, foi uma estreia de sonho em Mêda, coroada com o 2º lugar e a posição de melhor português.

No sector feminino, assistiu-se a um recital de Charlotte Davies.

A atleta do País de Gales, que defende as cores do BTT Loulé/Elevis, cedo se isolou e, a partir da primeira zona técnica, instalada ao quilómetro 22 na aldeia templária de Ranhados, foi aumentando a sua vantagem que, no final dos 87 quilómetros, foi superior a 11 minutos.

Ilda Pereira, de regresso às competições em território nacional, esteve ao mais alto nível. A atleta do Casa Mizé Team fez uma corrida de trás para a frente e chegou a um merecido 2º lugar da geral.

Atrás de si, a campeão nacional Celina Carpinteiro (BTT Loulé/Elevis) cruzava a linha de meta em terceiro, a catorze minutos e meio da vencedora.

Nos Master 30, José Lourenço (Spac BTT) venceu. José Pacheco foi segundo e Michel Machado (Vasconha BTT Vouzela) assegurou a terceira posição.

Quantos aos Master 35, superioridade de José Batista do BTT Seia. Foi ladeado no pódio por Carlos Ramos (Accm Btteam) e Pedro Pereira (Bttgardunha/Fundão/J3lp/Create By Jf Peças).

Já na categoria Master 40, a vitória foi para Luís Coelho do Btt Seia. Pedro Dias, com as cores do Spac BTT, foi 2º e Rogério Silva (Trilho Perdido Eventos, Socimaster) assegurou o 3º posto.

Nos Master 45, triunfou António Marques, em representação do Transfor-Fatimabtt. João Gomes (Assoc. 20Kms Almeirim/Restaurante O Forno) e Carlos Soares (Saertex Portugal / Edaetech) completaram o pódio.

A estrear-se na categoria Master 50, José Rosa (Ser e Parecer Pro Team) continua muito forte e voltou a vencer. O Individual Joaquim Bica foi segundo e Fernando Gonçalves levou as cores do 360ºbike Trail/Mundimat/Cca Paio Pires ao 3º posto.

António Prates (Craks Do Pedal – Coruche) foi o mais forte na categoria Master 55. A representar o Clube Btt Águeda/ Fundiven, Abílio Moreira concluiu em 2º, enquanto Joaquim Sá (Bombos S. Sebastião/Monçãobike/Lusomotor) concluía a prova no 3º posto.

Entre os Master 60, Manuel Pinto (Saertex Portugal/Edeatech) foi o mais forte. Carlos Cabrita e Rens Grevenstuk, ambos do BTT Loulé/Elevis, asseguraram os restantes lugares do pódio.

Nas Master 30 feminina Nadia Mendes a representar o Transfor Fátima BTT triunfou, na frente de Andreia Freitas do BTT Loulé/Elevis e da individual Melissa Maia

Entre as Master 40, domínio da espanhola Ana Gonzales, a correr com as cores da Extol-La Gramola Team. Filomena Paulo, do Róódinhas / Santos Silva, foi segunda e a melhor portuguesa na categoria. O pódio ficou completo com Clara Prazeres, que colocou as cores do Trilho Perdido Eventos, Socimaster no 3º lugar.

No Paraciclismo, Gil Pereira do Batotas/Ponte de Lima venceu a Categoria C na frente de João Monteiro, a defender as cores do Mozinho RT Martos Pellets, enquanto Hélder Maximino (360ºbike Trail/Mundimat/Cca Paio Pires) assegurava a terceira posição e o último degrau no pódio.

Na Categoria D, venceu Tiago Craveiro, que foi o único a concluir a prova.

Coletivamente o BTT Loulé/Elevis venceu na Categoria Elites, sendo secundado pelas formações do BTT Seia e da Saertex Portugal Edeatech.

Entre os masters, a equipa mais forte foi a do Transfor Fátima BTT.A formação do BTT Loulé elevis assegurou o 2º lugar e a Saertex Portugal Edeatech a terceira posição.

No rescaldo, era geral o aplauso ao nível competitivo da prova e ao trabalho da organização que manteve um nível que justifica a presença da prova entre a elite mundial.

Caiu assim o pano sobre a edição 2018 da Meda100 UCI Marathon Series. Dureza e espetacularidade marcaram uma prova que, ano após ano, se torna cada vez mais mítica e única no panorama nacional.

Deixe um comentário